Seguidores

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Entenda os sangramentos na gravidez

Há quem acredite que mulheres grávidas podem menstruar até o terceiro mês de gestação, mais ou menos. 

Mas, ao contrário do que se imagina, não existe menstruação durante o período gestacional. 

Isso porque o sangramento presente no período pode ser proveniente de causas naturais, com a implantação do embrião no útero, ou de algumas patologias, que devem ser evitadas, de acordo com os ginecologistas Daniela Schnitz, do Hospital São Camilo, e Antônio Carlos da Cunha, professor da Universidade de Brasília (UnB). “Por isso, é importante ficar atento para não ter complicações logo no início da gestação”, diz Daniela.

Fluxo natural
No início da gravidez, a mulher pode ter um discreto sangramento de dois a três dias, sem dores, que indica a implantação do embrião no útero. Essa é uma alteração fisiológica e não oferece riscos à paciente. “O que as mulheres precisam saber é que não há menstruação durante a gravidez. É interessante conhecer as alterações fisiológicas que podem ocasionar um pequeno sangramento, além de algumas patologias que, se não tratadas, podem levar ao aborto”, esclarece Antônio Carlos. 

Outra causa natural de sangramento, mas normalmente percebida ao longo da gravidez, é a chamada placenta baixa. Não há como corrigir o problema, mas a paciente precisa de alguns cuidados. “O fenômeno da placenta baixa pode ser descoberto em qualquer paciente. Não há como tratar, mas a mulher deve permanecer em repouso, evitar atividades físicas e relações sexuais. Pacientes com placenta baixa também não podem ter parto normal”, orienta Daniela. 

Perigo à vista
Outros tipos de sangramento são associados a problemas de saúde e devem ser tratados assim que descobertos. Normalmente, com a presença de cólicas intensas, ameaças de aborto podem surgir durante os nove meses de gestação. É preciso procurar um ginecologista para descobrir a causa e o tratamento da disfunção. 

Uma das possíveis causas de sangramento é a gravidez que acontece fora do útero, normalmente na tuba uterina. Em casos raros, o embrião se desenvolve e consegue sobreviver até o parto, mas, na maioria das vezes, o corpo interrompe naturalmente, causando um aborto. 

Infecções e feridas no útero também podem resultar em sangramentos. “Machucados e infecções são causas mais comuns de sangramento, mas devem ser tratados para evitar possíveis danos à saúde do bebê, além de abortos”, explica a médica. 

Os dois ginecologistas afirmam que só é possível evitar problemas durante a gravidez que ocasionem sangramentos fazendo exames durante o planejamento da gestação. Vale lembrar que algumas vitaminas são receitadas para a mulher que deseja engravidar, além de uma bateria de exames para checar se a saúde está em dia, confortável para a chegada de um bebê. 

Mais ou menos três meses antes de a mulher engravidar é recomendável que ela passe por alguns testes e tome vitaminas, como ácido fólico. Só com os cuidados médicos é possível evitar doenças durante a gravidez.

Um comentário:

  1. Adorei o post Rô!
    Alías seu cantinho está cada vez mais bacana.
    Eu estou sempre por aqui lendo, mas na correria: Yan,Meu blog, blog das comadres, meus afazeres domesticos acabo lendo e indo embora sem comentar.
    Mas hojeeeeee, estou aqui rs;;;
    Bjs e um lindo final semana!

    ResponderExcluir

Seu comentário me deixa muito feliz, não saia sem comentar.
Bjs
Rô Santana