Seguidores

domingo, 27 de novembro de 2011

Festas de fim de ano na empresa exigem moderação

Evite dar presentes de Natal para seu chefe ou outros funcionários. Isso pode gerar comentários negativos nos corredores da empresa
Atividades como amigo-secreto, festas de confraternização e troca de presentes são bastante corriqueiras na maioria das empresas. Mas, nessas horas, os funcionários devem se preocupar com algumas regras de etiqueta essenciais para não extrapolar os limites e se tornarem alvo de comentários maldosos pelos corredores.

"O importante é fazer tudo com moderação", aconselha Mário Custódio, consultor da Robert Half, empresa especializada em recrutamento empresarial. "Dar vexame na festa de fim de ano da empresa é algo muito delicado. Por mais que algumas comemorações possam acontecer fora do ambiente de trabalho, as ações dos funcionários nessas festas podem interferir em sua relação com as outras pessoas dentro da companhia", lembra Mário.

Por outro lado, faltar às festas também não é atitude recomendada. "O funcionário deve comparecer à confraternização, mesmo que seja para ficar pouco tempo e ir embora, já que colabora para a integração do grupo', explica.

Se as empresas permitem que a família dos funcionários também esteja presente, Mário afirma que seria importante levá-la. "É bom que a família conheça as pessoas com quem se trabalha e o local de trabalho", afirma.

Amigo-secreto
A brincadeira do amigo-secreto ou amigo-oculto também é um momento que se pode gerar alguns constrangimentos, caso não seja bem administrada. "Por questão de integração das equipes, é de bom tom participar do amigo-secreto na empresa. Se um grupo está organizando a atividade, fica chato ficar de fora", explica o consultor. A não participação só é aceitável caso haja uma explicação bem plausível, como estar em período de férias ou ter alguma viagem marcada.

As dúvidas também aparecem na hora de comprar presente para o amigo sorteado. Qual é a melhor opção na hora de presentear? "Quando não se conhece bem o gosto do amigo, o ideal é comprar um presente mais genérico. Uma gravata, por exemplo, é algo muito particular. E se a pessoa não gosta da cor? E se a pessoa não usa gravata?", afirma Custódio. Caso o amigo seja realmente próximo a você, o presente pode ser mais pessoal.

Educação ou "puxa-saco"
Independentemente da organização do amigo-secreto na empresa, será que é aconselhável comprar presentes de Natal para o chefe ou para algum companheiro de trabalho? "Pelo contrário, o melhor é não dar presente para ninguém", sugere Custódio.

"Se você presenteia o chefe, por exemplo, os comentários no corredor podem ser piores do que se não presenteasse. E se você presenteia e não recebe nada em troca? E se acham que você prefere este àquele funcionário, como explicar? O melhor é deixar de lado os presentes e dar um bom e tradicional Feliz Natal", explica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário me deixa muito feliz, não saia sem comentar.
Bjs
Rô Santana