Seguidores

terça-feira, 14 de junho de 2011

Cuidando da higiene íntima feminina

Manter uma higiene íntima é essencial para manter estes órgãos livres de infecções, especialmente para as mulheres, cuja genitália é interna. É importante lembrar que o interior da vagina é naturalmente habitado por micro-organismos, os quais formam a flora vaginal. Os lactobacilos são os principais agentes, tendo como função defender o órgão genital feminino de infecções e manter o equilíbrio com as bactérias e fungos naturais da flora.

Todas as mulheres têm essa proteção natural, mas alguns fatores podem desequilibrar o pH da vagina, facilitando o aparecimento de infecções, corrimentos e coceiras. Para evitar esse tipo de situação, é necessário ter uma higiene íntima adequada, que deve ser feita da maneira mais simples possível. Nas farmácias é possível encontrar diversas marcas de sabonetes para a higiene íntima, mas segundo o ginecologista Antonio Júlio Barbosa, do Hospital Santa Catarina, em São Paulo, nada disso é necessário. Esses produtos exercem as mesmas funções que as bactérias protetoras, portanto, basta utilizar um sabonete neutro.

No entanto, as baixas no sistema imunológico podem afetar essa harmonia natural da flora vaginal. Gripe, pouco sono ou má alimentação, por exemplo, são fatores que podem comprometer o equilíbrio. Aí, sim, bactérias e fungos nocivos podem entrar em ação. Nesses casos, os produtos íntimos são indicados, porque levam ácido lático na composição, e ajudam a re-equilibrar o pH vaginal.

Para uma boa higiene íntima, é necessário, em primeiro lugar, lavar muito bem a vulva durante o banho, fazendo uma limpeza com os dedos entre os grandes e pequenos lábios. Todas as vezes que a mulher urinar ou evacuar, o mais indicado é fazer a limpeza usando uma duchinha e, depois, secar suavemente o local com uma toalha ou papel higiênico sem odor. Se não for possível utilizar esse recurso, deve-se usar o papel higiênico no sentido vulva-ânus, ou seja, de frente para trás, ou lenços umedecidos sem perfume, fazendo o mesmo movimento. É necessário evitar o uso de cremes, fragrâncias e talcos, porque podem causar irritações e não auxiliam na higiene. Não é indicado o uso das duchas vaginais, utilizadas para limpar o interior da vagina, pois destroem a flora vaginal natural.

Dormir sem calcinha também ajuda na higiene íntima. Quanto mais ventilada a região, menor a chance de proliferação de fungos e bactérias. O ideal é evitar as lingeries de lycra ou outros tecidos sintéticos, porque, além de haver a possibilidade de causarem alergias, elas aquecem a região. As calcinhas de algodão são as mais recomendadas. Os protetores de calcinha diários devem ser abolidos, porque também abafam a região, deixando mais quente e úmida, bem como as calças muito justas. O uso de preservativos nas relações sexuais também é essencial.

A adoção de medidas simples como estas garantem uma higiene íntima perfeita. No entanto, se ainda assim surgir algum tipo de desconforto ou corrimento diferente do habitual, é necessário procurar um ginecologista. Esta é uma parte do corpo feminino que deve ser tratada com cuidado, para garantir a saúde e o bem-estar.

4 comentários:

  1. Adorei o post super informativo!

    Bjos; Janini

    ResponderExcluir
  2. Adorei sua materia!!!! Rô, meu premio chegou, só não postei ele, ainda poi estou sem maquina fotográfica, então estou guardando ele pra fazer uma fotinha e post no meu bloguinho, se vc me permitir... obrigada bjussss

    ResponderExcluir
  3. Que bom ler essa matéria viu!Eu uso direto aqueles protetores diários!!!

    Bjo grande


    http://nacasadapimenta.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Seu comentário me deixa muito feliz, não saia sem comentar.
Bjs
Rô Santana